Elasticidade Da Demanda de Carne Bovino No Brasil: Uma Análise Empírica de Poder de Mercado

Only available on StudyMode
  • Pages : 7 (1786 words )
  • Download(s) : 620
  • Published : April 11, 2011
Open Document
Text Preview
Objetivo

O objetivo desse trabalho é fazer uma análise da equação de demanda da carne bovina, equação esta retirada de um estudo feito pela Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural, analizando a elasticidade dessa demanda em relação aos fatores de preços de outros produtos e da renda. Visando determinar se existe espaço para outra empresa entrar no mercado de carne bovina.

1. Equação de Demanda da Carne Bovina

A Tabela 1 apresenta os resultados da estimativa dos parâmetros da equação de demanda da carne bovina.

Tabela 1: Resultados do modelo SUR para o sistema de demanda de carne bovina – Brasil – (1980 – 2006). ¬¬-____________________________________________________________

__
Parâmetros do modelo Coeficiente Erro padrão Estatística-t Prob.

C(30) -2,539859 1,246196 -2,038089 0,0451

C(31) -0,194780 0,051650 -3,771126 0,0003

C(32) -0,053367 0,154698 -0,344978 0,7311

C(33) 0,032132 0,159882 0,200976 0,8413

C(34) -0,150686 0,093707 -1,608051 0,1120

C(35) 0,738482 0,145520 5,074775 0,0000

C(36) -0,165025 0,044132 -3,739315 0,0004 ¬¬¬-____________________________________________________________

___
Equação: LOG(QBOI) = C(30) + C(31)*LOG(PPEIXE) + C(32)*LOG(PFRANGO) + C(33)*LOG(PBOI) + C(34)*LOG(PSUINO) + C(35)*LOG(RENDA) + C(36)*DB Observações: ; R-quadrado ajustado = 0,838; Durbin-Watson = 1,975

2. Análise da Equação de Demanda da Carne Bovina

A demanda da carne bovina é perfeitamente inelástica em relação ao preço, já que o coeficiente de elasticidade/preço da carne bovina não é estatisticamente significativo a 10% da probabilidade.

Podemos verificar que com exceção da carne de frango, a carne bovina varia inversamente em relação aos preços das outras carnes. Se a análise for feita em relação a renda per capita do consumidor, a carne bovina varia diretamente. O consumidor da carne bovina se manteve indiferente à carne de pescado, o que a torna substituta das carnes de frango e suíno..

Analisando a tabela acima verificamos que a elasticidade-cruzada entre as carnes bovina e pescado igual a -0,195 o que implica que um acréscimos de 10% no preço da carne de pescado induz uma redução na ordem de 1,95% na demanda da carne bovina, ceteris paribus, isto é se todos os outros fatores continuarem constante.

Um incremento na renda dos consumidores induz a um aumento na demanda da carne bovina, os coeficientes de preços das carnes de frango, bovina e suína foram iguais a zero estatisticamente com 10% de probabilidade.

O coeficiente de 0,738 representa a elasticidade-renda da carne bovina, significando que um acréscimo de 10% na renda do consumidor eleva sua demanda na orden de 7,38%. Como a demanda da carne de boi se eleva com aumento da renda podemos concluir que este é ium bem normal.

Nesse modelo, foi introduzida uma variável dummy “DB” para se analisar o período de 1999 a 2006. O resultado para “DB” igual a -0,1650 mostra que a demanda da carne bovina, durante o período de 1999 a 2006, em média foi 16,50% inferior ao período 1980 a 1998. O que nos revela um crescimento na demanda do período analisado em relação aos dez anos anteriores.

De acordo com o estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural, o coeficiente da semi-elasticidade foi da ordem de :

“100*[e-0,165025 – 1] = -15,21%, em que “e” é o número irracional de Euler. Essa estimativa mais rigorosa implica que a demanda de carne bovina no período...
tracking img