Diversidade Entre Brancos E Indios

Only available on StudyMode
  • Pages : 5 (1546 words )
  • Download(s) : 1121
  • Published : May 10, 2010
Open Document
Text Preview
[pic]

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
HISTORIA

CLAUDIA APARECIDA MACHADO

DIVERSIDADE ENTRE BRANCOS E INDIOS

São Jose des Pinhais
2009

CLAUDIA APARECIDA MACHADO

DIVERSIDADE ENTRE BRANCOS E INDIOS

Trabalho apresentado ao Curso Historia da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para a disciplina antropologia Cultural II.

Orientador: Prof. Giane Albiazzetti

São Jose dos Pinhais

2009

DIVERSIDADE ENTRE BRANCOS E INDIOS

A antropologia não era e ainda não e a única ciência a dar conta de estudar a cultura, mas tradicionalmente ela contribui, e muito, para desvendar os mistérios das diversidades culturais entre os homens. Foi muito importante a descoberta realizada pelos primeiros antropólogos sobre as diferenças culturais. Pois, contribuíram para o entendimento dos processos de transformação por que passam as sociedades contemporâneas. Assim como os processos migratórios que aceleraram essas transformações. A discussão que a Geografia faz ao analisar o fenômeno social da cultura e toda sua dinâmica, a partir da corrente do pensamento geográfico determinista, remete-nos a pensar a questão do determinismo ambiental, a idéia de que as diferenças culturais são resultado do meio pelo qual uma população esta inserida. Já no século XIX, foram muitas as criticas sobre os argumentos do determinismo. Embora exista uma relação próxima da cultura e do meio, dizer que o meio e determinante da cultura não explica as diferenças culturais entre povos. Então, podemos questionar em sala de aula: e os grupos sociais que vivem em ambientes geográficos semelhantes, mas são culturalmente diferentes? Vejamos o exemplo deste fato que o antropólogo Laraia apresenta ao exemplificar as diferenças culturais entre os xinguanos que vivem no mesmo limite do Parque Nacional do Xingu: “Os xinguanos propriamente ditos (Kamayurá, Kalapalo, Trumai, Waurá, etc.) desprezam toda a reserva de proteínas existentes no grandes mamíferos, cuja caça lhes é interditada por motivos culturais, e se dedicam mais intensamente à pesca e à caça de aves. Os Kayabi, que habitam o Norte do Parque, são excelentes caçadores e preferem justamente os mamíferos de grande porte, como a anta, o veado, o caititu, etc.” A crítica ao determinismo, em especial o geográfico, leva-nos também a pensar de maneira critica o preconceito e discriminação que muitos povos e grupos étnicos sofrem. No Brasil, por exemplo, tornou-se ate “popular’ dizer que os índios, cablocos e negros, que na sua maioria estão nos estados do Norte e Nordeste, apresentam uma predisposição à preguiça e à vagarosidade. Tais maneiras “deterministas” de pensar as diferenças entre os homens causam no cotidiano de nossas relações sociais precedentes para toda forma de sentimentos de estranheza, medo, hostilidade e, que levam a atitudes preconceituosas quando nos deparamos com o “outro” e sua cultura. Em sala podemos realizar uma pesquisa de campo em nossa cidade, escolhemos um numero de pessoas de diferentes regiões do pais e que vivem em sua cidade. Entrevistamo-las a respeito das formas de preconceito que sofrem, tais como: desemprego, violência, “piadinhas”, dentre outras. Depois, faça um painel dessa realidade comparando também com as informações divulgadas nos meios de comunicação. Todos nos sabemos que todas aas pessoas tem seu próprio comportamento. Pelo menos é isto o que a maioria de nos, muitas vezes pensamos e falamos. Mas, a humanidade ora se diferencia e, ora se assemelha em muitos aspectos comportamentais. O que faz com que isso ocorra? Para dar conta de responder e explicar a grande diversidade que caracteriza toda a humanidade em todos os tempos, lugares e sociedades, muitos cientistas sociais, dentre eles e, em especial, os sociólogos e antropólogos, ocuparam-se em analisar certo aspecto da vida humana. A saber: a cultura. O entendimento que muitos de nos...
tracking img